Archive for Fast Forward

Batsuit

Batsuit

Anúncios

Liv loves Hulk

Liv Tyler
Está escolhido o love interest de Bruce Banner para The Incredible Hulk, o segundo filme do herói mais furioso e mais verde do mundo dos comics. Assim, com Liv Tyler como Betty Ross e Edward Norton como Bruce Banner, parece mais fácil manter a esperança na qualidade da sequela. É melhor não mencionar a realização de Louis Leterrier para não dar cabo do quadro…

Surprise, surprise…

Tinha que ser! Que levantem a mão os surpreendidos! Bem, habituem-se. A cegueira das distribuidoras portuguesas é tão revoltante quanto crónica. Uma equipa que já provou o seu valor, um conceito diferente, um hype gigantesco, uma estreia em grande no Reino Unido (até uma entrada directa para o Top 250 do iMDB, valha o que valer)… Não, não chega. Tudo isto e muito mais não compra a Hot Fuzz o direito de passar nas salas de cinema portuguesas como deve ser.
E pronto, já tive a desilusão do mês. Bora lá esperar pelo DVD de um dos filmes por que eu mais ansiava ver este ano…
Hot Fuzz
Já agora, (para aqueles que vivem debaixo duma pedra ou que passaram os últimos meses a explorar trabalhos pesqueiros no Gana) Hot Fuzz é uma comédia que parodia o cinema de acção à lá Michael Bay, mais precisamente os buddy cop movies e que saiu directamente das mentes brilhantes que nos trouxeram o impagável Shaun of the Dead (e que viram todos os filmes de acção jamais feitos) – Edgar Wright e a hilariante dupla Simon Pegg e Nick Frost. Para quem ainda tem espaço para ganhar água na boca, aqui fica o trailer.

Homem Aranha em cenário de cartão

Há que mostrar este fabuloso videoclip da canção que será a do genérico inicial do muito aguardado Spiderman 3. A música é dos Snow Patrol e o vídeo atira pela janela a convenção muito pouco imaginativa que estamos habituados a ver nos videoclips de temas principais de filmes, que consiste basicamente em mostrar a banda a tocar de cabelos ao vento com um ar inspirado e encanar-lhe à pressão umas imagens do trailer da respectiva película lá pelo meio.


O teatrinho infantil combina perfeitamente com o tom doce e (obviamente) inspirador da música e consegue ser estranhamente tocante. No que me diz respeito, é uma óptima alternativa ao dueto a cair para o lamechas de Chad Kroeger e Josey Scott e será muito bem acompanhada por contribuições de Flaming Lips, The Killers, Yeah Yeah Yeahs entre outros. Contas feitas, o resultado parece-me uma banda sonora tanto ou mais promissora quanto o filme.

Edward Norton, zangado e verde.

Edward Norton
Mais um herói dos quadradinhos, mais um blockbuster, mais uma sequela e mais um recast potencialmente polémico. O Incrível Hulk está de volta, mas desta vez não será Eric Bana a grunhir durante duas horas, pintado de verde e vestido com uns calções arroxeados. O cientista com um grave problema de controlo de raiva será… Edward Norton. Tão surpreendidos como eu? Tenho a dizer que o senhor Norton é dos meus actores preferidos desde a primeira vez que apareceu no ecrã com o thriller Primal Fear e que esta é a primeira vez que não consigo evitar franzir o sobrolho ao ler sobre o seu próximo projecto. A febre da BD não parece encaixar lá muito bem com o perfil profissional de Norton, especialmente considerando a personagem em questão e o facto de ser apenas uma sequela de um filme pipoca (mesmo que até seja bom).
The Incredible Hulk será realizado por Louis Leterrier, o director dos dois Transporter e de Danny the Dog, e o único cheirinho da história é que esta será um regresso às raízes da série de BD (onde é que já ouvimos isto?). O argumentista é Zak Penn, o mesmo de X2 e X-Men: The Final Stand.

E por último, o Ultimato.

Depois de dois grandes filmes que cá para mim são das melhores películas de acção do últimos anos está aí a chegar o terceiro e último filme da saga do amnésico e fatal Jason Bourne. The Bourne Ultimatum é realizado por Paul Greengrass que já andou nestas lides no segundo filme da série, The Bourne Supremacy (o primeiro é de Doug Liman), e conta mais uma vez com Matt Damon no papel principal. A estreia em terras do Tio Sam é já este Verão, lá para o dia 3 de Agosto e digo já: estou que nem posso. Mas lá terei que esperar mais uns mesinhos (sabe-se lá quantos para a estreia portuguesa) e entretanto a única coisa que temos para ir roendo é o trailer internacional, que infelizmente, não tem é lá muita carne agarrada ao osso.
The Bourne Ultimatum
E já agora, para quem quer saber mais sobre a cruzada do sniper esquecido ou simplesmente gosta destas coisas de espionagem, snipers, correrias e perseguições, recomendo vivamente que procurem os livros de Robert Ludlum de onde nasceram os filmes. Garanto que se há homem que sabe escrever acção é ele.

É mesmo Pó de Estrela ou é só areia?

Stardust
Um herói apaixonado que tenta encontrar uma estrela caída para dar à sua amada, um reino mágico e proibido aos comuns mortais, uma fronteira quebrada, uma bruxa má e um pirata voador.
Provavelmente mais um filme a atrelar-se à sucessão de supostos épicos fantásticos que tem pululado desde o glorioso Lord of the Rings… É esta a primeira coisa que me cruza o pensamento ao ler esta sinopse que sinceramente não me faz mais nada senão evocar a imagem do já habitual filme povoado de criaturas pouco habituais e CGI, geralmente com açúcar a mais no argumento e de preferência com 3 horas de duração.
Isto é, em circunstâncias normais, não voltava a pensar no caso e continuava a caça aos novos projectos que parecem valer a pena manter debaixo de olho. Mas, por alguma razão, este Stardust tem tido direito a uma grande fatia de internet hype, o que faz com que tropece constantemente no dito durante as minhas buscas pela web.
E quando digo “por alguma razão”, quero dizer: porque para o filme que parece ser, o cast é impressionante. Lendo os nomes Robert De Niro, Michelle Pfeiffer, Claire Danes, Ian McKellen, Peter O’Toole, Ricky Gervais e Sienna Miller, todos associados a um filme que à primeira vista parece o Crónicas de Narnia com gente mais alta, não dá para evitar franzir a sobrancelha e pensar que alguma coisa deve ter para ter esta gente toda nos créditos. Logo, o passo seguinte é dar uma vista de olhos ao trailer, acabadinho de vir ao mundo.

E agora pergunto: mas o trailer não devia servir para deitar a minha primeira impressão por terra e deixar-me a salivar por algo emocionante e original que mereça o hype?
Ou o filme é mesmo um desperdício de dinheiro, talento e CGI ou fizeram um trabalho muito pobrezinho no trailer… digo eu.

Dos confins do mundo

Pirates of the Caribbean
Chegou o tão esperado trailer para Pirates of the Caribbean: At World’s End, o terceiro filme da saga e, há que dizê-lo, promete. Para o filme ainda faltam uns meses… vamos lá a ver se a espera vale a pena.

Harry sem Hermione?

Golden Trio
O franchise Harry Potter já é olhado de canto por muitos desde o seu início e por muito que goste dos livros há que admitir que a qualidade da maioria dos filmes estreados até agora é indefensável… E agora a já tremida aventura cinematográfica do feiticeiro dá de caras com uma nova crise. A poucos meses da estreia do quinto filme da saga se Harry Potter e do lançamento do último livro, “Harry Potter and the Deathly Hollows”, o trio dourado do cinema ameaça a dissolução. Embora Daniel Radcliffe já tenha assinado o contrato para os dois últimos filmes parece que a menina do grupo, Emma Watson, se está a cansar da brincadeira. Os fãs não estão contentes com a hipótese de ver uma cara diferente no papel de Hermione Granger, mas pelos vistos a rapariga já está farta de ser conhecida como “aquela miúda do Harry Potter”. Compreensível, mas mesmo assim… será que há potencial suficiente para fugir ao rótulo? Typecast’s a bitch

Be Kind Rewind

Would you erase me?
Um acidente industrial causa a magnetização da cabeça de Jack Black (digam lá se isto não começa bem!), o que faz com que este apague inadvertidamente todas as cassetes VHS do clube de vídeo do seu melhor amigo, interpretado por Danny Glover. Ora claro está, isto não cai bem à cliente mais leal do clube, uma simpática velhinha com fortes sinais de demência, não restando outra solução aos dois amigos senão recrear eles próprios filmes como Robocop, Regresso ao Futuro ou o Rei Leão para trazer alguma felicidade à senhora.

Depois de tal sinopse, será normal passarem-nos pela cabeça adjectivos como bizarro, ridículo, estapafúrdio ou mesmo genial. Agora cada um que decida como melhor lhe convier qual a categoria em que vai encaixar uma coisa destas. Mas antes de decidir é melhor acrescentar à equação o facto de que o projecto é de corpo e alma (que é como quem diz realização e argumento) do senhor Michel “Eternal Sunshine of the Spotless Mind” Gondry. Provavelmente influencia o resultado…
Cá por mim, eu só digo: eu quero ver isto!!!

Bonecada do melhor!

Tintin Family
Desta vez sem capa, roupa interior por fora das calças ou super poderes, está na agenda mais uma adaptação de livros aos quadradinhos que parecem apelar tanto ao pessoal do cinema por estas alturas. Depois da enxurrada de super heróis dos comics americanos parece que alguém se lembrou dos clássicos francónos, quem sabe até do clássico dos clássicos. O jovem jornalista belga Tintin, criado pelo falecido Georges Rémi, vulgo Hergé, deverá chegar aos cinemas lá para 2009 pela mão da DreamWorks, provavelmente trazendo consigo Milu, Capitão Haddock, Dupont e Dupond, tal como reminescências nostálgicas de tempos mais inocentes, pelo menos para mim. Se em imagem real, animação tradicional ou CGI, ainda não se sabe, mas diz a boa gente dos Hergé Studios que se a primeira fita resultar bem outras mais a seguirão. Por mim, tudo bem.
Toy Story
Ainda falando em “bonequinhos”, não pode passar em branco o anúncio do sucessor de um dos melhores franchises de animação da Disney: a saga Toy Story. A luz verde já piscava há algum tempo e sabemos agora o mais parecido que há com uma data de estreia. O lançamento da terceira aventura de Woody e Buzz Lightyear está agendado para 2010 (tanto tempo…) e Tom Hanks e Tim Allen voltarão a dar a voz ao manifesto. Mais uma curiosidade: o argumento será da autoria de Michael Arndt, que ainda deve estar a decidir qual o melhor lugar para guardar o seu Óscar de Melhor Argumento Original por Little Miss Sunshine.
Só boas notícias!

O divórcio de Grindhouse

Grindhouse Planet Terror
Entusiasmados com o formato inovador de Grindhouse? Não estejam.
O conceito da grindhouse americana, cinema de má fama onde o B-movie e o mau gosto é rei, foi considerado pelos distribuidores inacessível para o público estrangeiro, tal como o clássico formato “double-feature” que lhe é normalmente associado. Quer isto dizer que nos países de língua não-inglesa os filmes de Quentin Tarantino e Michael Rodriguez serão estreados separadamente com alguns meses de diferença, à lá Kill Bill, sem se saber ainda qual será o primeiro a chegar. Os trailers falsos que separariam Death Proof e Planet Terror, realizados por Rob Zombie, Edgar Wright e Eli Roth, irão provavelmente ser exibidos no início dos filmes. Quiçá como compensação ou (provavelmente) como meio de aumentar a duração de cada segmento, diz-se que os filmes irão ter cenas adicionais que não farão parte da versão original.
Fiquei triste, sinceramente, fiquei. Grande parte da piada estava em sermos apresentados a um formato novo por estes lados, isto para não mencionar que os filmes foram pensados para ser vistos ao mesmo tempo e seria curioso ver a relação entre as duas películas no grande ecrã. O efeito não será certamente o mesmo.

« Previous entries